Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Twitter Basic Square

Conselho de Desenvolvimento Urbano classifica sede do Remo como “imóvel especial de preservação”



O Conselho de Desenvolvimento Urbano da Cidade do Recife aprovou hoje (27) a classificação da sede do Remo do Náutico como “imóvel especial de preservação”. A notícia é motivo de comemoração para todos os torcedores alvirrubros.

O pleito nasceu a partir de debates do Conselho Deliberativo do Náutico com a Câmara dos Vereadores e foi formalizado pelo vereador Aderaldo Pinto, que o apresentou à Prefeitura.

“O remo do Náutico é testemunha da história de Recife e nos cumpre a obrigação de preservá-lo de forma a honrar a memória do nosso povo e manter o interesse vivo sobre o esporte náutico que ajudou a transformar nossa cidade e trouxe tantas alegrias para a população. O amor ao esporte fez com que surgissem, há mais de 100 anos, clubes de relevância inestimável para os recifenses. Desse esporte nasceu o Clube Náutico Capibaribe. Enquadrar a sede de remo do CNC como imóvel especial de preservação é uma atitude de compromisso não apenas com o passado, mas também com o futuro”, comenta o presidente do Conselho Deliberativo Alexandre Carneiro.

PARECER TÉCNICO

A Coordenação Técnica do IPHAN apresentou o Relatório nº 2323176/2020, assinado por Renata Duarte Borba, sobre a relevância das sedes do Remo do Náutico e também do Barrozo, ambas localizadas na Rua da Aurora.

Desde a década de 40 o Náutico tem sua sede de remo instalada no número 1193 da Rua da Aurora. “Apesar do fortalecimento do futebol como esporte de destaque do Clube, é simbólica e representativa a permanência da sede/garagem associada à prática do remo na Rua da Aurora. Além disso, como citado no Parecer da DPPC, no escudo do time continuam presentes os remos, em referência ao esporte de sua origem”, diz o parecer.

E complementa: “Os valores que se destacam e justificam sua classificação são de natureza essencialmente imaterial: a permanência do uso histórico , que remete à prática do remo no Recife, a memória dos diversos eventos sociais ligados à atividade, assim como a relação com a Rua da Aurora”.

O Parecer Técnico nº 002/2020 da DPPC apresenta que: “O reconhecimento do valor cultural e do consequente valor patrimonial presentes nas sedes de remo do Clube Náutico Capibaribe e Clube Esportivo Almirante Barroso entende as relações intrínsecas entre os valores imateriais e as edificações que são seu suporte – assim como o lugar da cidade em que se inserem – a Rua da Aurora -, mesmo que nessas edificações não seja predominante o valor artístico”.

EM DEFESA DO REMO ALVIRRUBRO

Ao defender a preservação da sede do Remo, o Conselho Deliberativo do Náutico buscou reverenciar a história e a grandeza do clube, e também proteger o imóvel da especulação imobiliária e garantir o futuro do remo alvirrubro, visto que já perdemos ou negociamos patrimônio em tempos passados, e exemplo do imóvel do Country Clube, na Avenida Rosa e Silva em Recife/PE, e do Caça e Pesca, em Jaboatão dos Guararapes/PE.

“A aprovação pelo Conselho de Desenvolvimento Urbano da Cidade do Recife foi um passo importantíssimo. Ainda é preciso que o Prefeito decrete e conceda à nossa sede do remo essa nova classificação de preservação. Depois, nós do Conselho continuaremos a trabalhar para conseguirmos melhorias para o imóvel e para a equipe de remo”, explica Alexandre Carneiro.